Enfim, 40

Aniversario francine lacerda

Semana passada foi meu aniversário, dia 5 de Outubro cheguei aos 40 anos .
Quarentei! entrei nos enta, na versão 4.0, na idade da loba, da meia idade… da maturidade.

Pela primeira vez a noção da finitude da vida se apresentou muito nítida, se fez sentir, se fez presente. A percepção de que metade da vida já passou (ou quase), que daqui pra frente os dias vão diminuindo, não há mais a sensação de “vida toda pela frente” como aconteceu ao chegar aos 20.

São pensamentos e emoções profundos, que mexem na percepção de vida, que faz a gente parar e avaliar o que vivemos até aqui.

Valeu a pena? Você fez a diferença? Buscou, lutou pelos seus sonhos e ideais? Tocou de forma positiva a vida de alguém?

 

Pode parecer um post melancólico, mas não é. Fazer essa reavaliação é muito positiva.

Hora de agradecer por tudo de bom que vivi, que conquistei, pessoas que conheci e convivi, perceber o que pode ser melhorado para ter uma vida mais plena e feliz daqui para frente.
Identificar onde está a felicidade, o amor, a amizade. Priorizar o que me faz bem, quem e o quê me faz bem e melhor. Hora de extrair o melhor de mim e trazer para o mundo, e quem sabe emanar beleza e felicidade por onde eu for.

voe alto

Aos 20 anos veio a sensação de urgência, de fazer acontecer a qualquer custo, mesmo tendo “a vida toda pela frente”.
Aos 30 me senti mais serena, disposta a viver a vida com mais calma, curtir o dia a dia, as coisas simples. Casei, busquei segurança, iniciei uma nova etapa profissional. Acho que foi o retorno de Saturno (o senhor do tempo) que me ajudou a ser mais estável, seguir o tempo sem ansiedade, valorizar e curtir a vida.

Agora aos 40 o chamado da alma, do propósito de vida tá falando bem alto, quase gritando. 😀 Falei um pouco sobre isso em um post anterior. Pode ser pela chegada dos enta, dos ciclos de Plutão e Urano, de Plutão entrando na minha casa de carreira e objetivo de vida. Ou tudo isso junto.
E quando isso acontece não adianta fazer de conta que não é com você. A inquietação, vontade de mudar, de recomeçar, dar um novo rumo é forte demais.

O melhor é acalmar, silenciar e ouvir o que o universo reservou para nós.

 

Estou me percebendo, ouvindo, analisando, para entender como buscar aquele calorzinho no peito, sabe?! De amor, felicidade e plenitude. Uma força que vem de dentro pra fora.

E estou fazendo essa busca com calma, sem deadline, sem meta. Vivendo cada etapa com entrega e anteninhas ligadas.

Tenho certeza que vem muita coisa boa por aí! 😉

P.S.: Para quem curte astrologia, falarei sobre o retorno de Saturno e os ciclos planetários em breve. 😃

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *